Os aumentos de 2017 que vão pesar na sua carteira

 

preços sobem

Todos os anos, no início do ano, o cenário repete-se: os preços sobem e se alguns sobem apenas em linha com a inflação há outros bens e produtos que ficam substancialmente mais caros.

O levantamento do compareomercado.pt conclui que a maior parte destes aumentos prende-se com a entrada em vigor do Orçamento do Estado, como o imposto sobre os refrigerantes ou o agravamento fiscal sobre o tabaco, mas há subidas da responsabilidade das empresas privadas, como é o caso das telecomunicações, por exemplo.

Um dos principais aumentos do ano é o do preço dos transportes públicos, que vão subir 1,5% embora o IVA possa ser abatido em sede de IRS. Os estudantes do ensino superior passarão a ser englobados nos descontos mensais. Neste caso será aplicado um desconto de 25% no valor do passe.

A eletricidade também registará um aumento, de 1,2% nos clientes do mercado regulado. No mercado livre os aumentos podem ser superiores mas a decisão é das empresas privadas. No gás não há aumentos, para já, porque a subida dos preços regulados é realizada em julho.

Já nas telecomunicações os preços vão aumentar numa média de 2,5%, uma subida justificada com os maiores custos das empresas com os conteúdos desportivos, mas alguns operadores já aumentaram o preço na reta final do ano passado. Se acha muito, escolha o tarifário que melhor se enquadra às suas necessidades para abater essa subida no preço final do seu pacote.

O preço da gasolina e do gasóleo também deverá registar um aumento devido ao acordo para congelamento da produção, que levará a que a matéria-prima fique mais cara. Tenha atenção aos preços praticados nos diferentes postos de abastecimento para ter a solução mais barata. Saiba também que o regime de gasóleo profissional vai ser alargado a todo o país.

Se, por um lado, o preço do pão não deverá subir por outro os portugueses terão de lidar com um novo imposto: o fat tax, imposto sobre refrigerantes, que vai encarecer os preços das bebidas.

Ainda do lado da fiscalidade ter carro vai ficar mais caro já que o imposto sobre veículos (ISV) vai aumentar cerca de 3,2% e o Imposto Único de Circulação (IUC) terá um agravamento a rondar 1% – para os carros mais poluentes a subida pode ultrapassar os 5%. A alternativa pode ser tentar poupar, por exemplo, no seguro do seu carro (veja aqui as opções).

Se está a pensar em comprar casa em 2017 saiba que há novidades relativamente ao Adicional ao IMI, que substitui o imposto de selo sobre prédios de luxo acima dos 600 mil euros. O imposto é de 0,7% e sobe para 1% quando se ultrapassa o milhão de euros.

Mas nem tudo são más noticias: o salário mínimo também vai aumentar a partir de janeiro, para os 530 euros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

mautic is open source marketing automation
shares